sábado, 30 de maio de 2015

ALMA EM APUROS








Oh!  alma inquieta, 
porque te perturbas tanto assim?
porque te enveredas sem uma meta?
Porque tu te afastas tanto de Mim?


Porque te aventuras, por essas bandas?
se distanciando e se afastando do rumo,
andando à deriva, seguindo falsas ondas,
Perdendo de vista a referencia que pruma.

Oh! alma aflita, 
porque te consomes tanto e te agitas?
e te envolves nesse universo tão frio,
que somente proporciona arrepios.

O que te encantas tanto nesse turbilhão?
que te jogas num interminável redemoinho,
te amarrando nessa estranha agitação,
tirando os seus pés, do melhor caminho.

Oh! alma arredia,
porque se esqueceu logo da doce alegria?
que experimentavas sempre, de noite e de dia,
quando, tão saudável, na minha presença vivias.

e tu te folgavas, contente em todas as estações,
Eu ficava te protegendo, sempre ao seu lado 
fazia seu tenro coração, vibrar nas emoções
quando na inocência, você não tinha pecado.

Mas chegou a consciência e a ilusão te carregou,
uma luz enganosa e mirabolante logo te levou,
envolveu teus sentidos, e num viés oculto te guiou,
te fazendo esquecer, de quem, com amor, te criou.

Agora, com o mesmo amor eu te busco e te convido,
levante teus olhos e te lembres daquele primeiro amor,
que existia lá no começo, quando quase não tinhas vivido,
volte de pressa, fuja logo da morte, me alivias dessa dor.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

MISSÃO CUMPRIDA






Que prazer indizível 
chegar ao fim de uma jornada,
certo de que o dever foi cumprido,
em que pese os percalços da estrada, 
quem sabe até, um feito incompreendido,
tenha marcado uma emocionante escalada,

A vida nos ensina tanto,
e é preciso aproveitar cada instante,
somar ao arsenal do viver, até um espanto,
enriquecer o ser e o próprio "Ser" fiel amante,
do conhecimento que coleciona em cada canto,
onde vai distribuindo o amor, num feito marcante,

Quem está se afogando, 
nunca consegue ver, a direção da saída,
se debate de qualquer jeito, em vão lutando,
vivendo a seu modo se afunda ainda mais na vida,
nessa hora que é imprescindível uma palavra amiga,
quem ama a Deus aparece, e com amor vai ensinando,  

Mesmo que isso lhe custe caro,
mas o amor ao próximo é seu bem maior,
renuncia a si mesmo, nada tendo por agravo,
não considera a indiferença, ou a ingratidão pior,
do melhor sentimento se torna um alegre escravo,
desde que tal gesto, faça o semelhante ficar melhor, 

Esse feito somente é possível,
na vida de quem, prioriza a presença de Deus,
relega a planos inferiores, seus "projetos infalíveis",
aprende a subjugar com muito jeitinho, os interesses seus,
afasta de sua beira, todas as insistentes futilidades da vida,
só assim chega ao fim da luta e diz: A MISSÃO FOI CUMPRIDA.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

SAGA DE UM COVARDE










Ninguém pode explicar,
Os mistérios do pensamento,
De onde deriva o meditar,
Que recolhe o bom sentimento,

Na ilusão do engano,
Os inocentes reclamam,
O endereço cigano
Que acolhe a voz que inflama,
Que aplaude a agonia,
De quem culpa não tinha.

É fácil apontar o dedo,
Recusar a própria história
Fomentar o medo,
Descansar a memória,
Conduzir pra longe, o erro,
Enganar a si mesmo,

Lágrimas correm lá,
Isso não comove,
A dor longe está,
Isso é o que move,
Tirar de si o peso,
Fugir da luta ileso,

Enquanto outro se debate,
Declina do embate, o covarde,
Acusa quem, culpa, não tem,
Se refugia na sombra de alguém.

Fugir da dura responsabilidade,
Sobrecarregar quem já fez sua parte,
Com subterfúgios e outras falsidades,
Roubar a boa intensão de quem ama a verdade,
Trair a confiança e a lealdade
Coisas de um coração que sofre na dualidade,

Oxalá que a vida ensine,
Que viver não pode ser assim,
É preciso enfrentar com carinho

E não passar à outro, o que é pra si.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

SILHUETAS DA VERDADE









Numa vaga e sutil experiência
se aventura um curioso sonhador,
percorre um viés caprichoso
segue sintomas, por pouco supor,

Encontra no Norte, uma trama,
afasta de sua beira,  o drama,
embarca numa Nau errante,
e navega por uma rota distante,

Superando a procela da dor,
por uma fresta esguia descobre,
caminhos que embalam uma flor,
feitos que depreciam um nobre,

Na penumbra da pura felicidade,
mergulha na palidez, dominante
dribla sem perceber, a  verdade
pelo prêmio do engano ambulante,

No encalço do perfume distante,
segue embriagado, e inaudito,
peito ofegante e voz embargante,
sacrifica o endereço bendito,

O barco à deriva, se distancia do porto,
o furor negro assusta o navegante
a procela insiste e afasta o conforto,
um arrepio se instala, naquele horizonte,

Alça os olhos na direção do começo,
não é possível.., insiste o peito alado,
não acredita, num possível tropeço,
entende a tempestade e o mar agitado,

Ao longe as luzes ainda se percebem,
o coração vibra,  o vigor se refaz,
a visão fica clara, a Âncora aparece,
o retorno inicia, o engodo se desfaz,.

Um Sorriso se abre e brilha o olhar,
da densa noite se afasta a densidade,
o caminho se firma no meio do mar,
não mais lhe encantam as SILHUETAS DA VERDADE.  

domingo, 24 de maio de 2015

SILÊNCIO DO MEU LUGAR







O silêncio domina em meu redor,
O desatino alucinante me faz mergulhar,
Num paroxismo intrigante, e desejar,
O que eu não tenho, e nem posso esperar,
Algo que está longe, bem longe do meu lugar.

Levanto a todo instante o meu olhar,
Busco em todas as direções uma solução,
Não adianta, não vai adiantar,
O silêncio é intenso, preciso me conformar,
O peito adormece solicito num breve suspirar,
Se aquieta na quietude, que fica no meu lugar.

Um suspiro dobrado se mistura na fadiga,
A mente reclama, e resiste até se entregar,
Um peso nas pálpebras anuncia que o sono já vai chegar,
Agora o corpo adormece num labirinto de intrigas,
O cansaço absorve o ambiente de brigas,
As janelas se fecham, a alma se recolhe,
No silêncio profundo, dormindo no meu lugar.

Algumas horas se passam e o dia nasce outra vez,
A noite foi tranquila, lindos sonhos sonhei,
Enquanto eu dormia, a mente me fez ver,
Imagens construídas no recôndito do meu ser,
Mas a ilusão se desfaz no contraponto da razão,
O dia está só começando, a claridade do sol indica,
Que a vida continua, é preciso à luta se dedicar,

E transformar em passado, o SILÊNCIO DO MEU LUGAR.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

INCERTEZAS




Na gangorra dos sentimentos
crava um duro pensamento,
no vai e vem das intenções
agonizam os inertes corações.

O destino do destinatário não se tem,
porque o mapeamento da alma fica além,
a força do pensamento não é bastante, 
para se construir a paz, que seja por um instante.

Uma intenção frustrada estabelece o medo,
que cresce no terreno fértil das incertezas,
impede a concepção na âmago do desejo,
que precede os projetos que desaguam nas riquezas,

Um coração corroído no domínio da insegurança,
se desfalece na palidez, da verdade destruída,
se fragiliza, não avança, porque perde a confiança,
lamenta em meio a lágrimas, a vontade perdida.

Conhece a nitidez da vereda, mas não se mexe,
perdido no labirinto dos pensamentos, não se atreve
a mudar de posição, e assim inerte permanece
no escuro da densa escuridão, que só cresce.

A ausência de luz no caminho, é um martírio,
a inconstância constante, define a indefinição,
de quem experimenta na ilusão, o delírio,  
consolidando o viés que inviabiliza a ação.

Recuperar a confiança perdida é possível,
com a renúncia sincera dos erros cometidos,
quando pesa mais na balança o medo, gerado pelas incertezas,
que tira dos pés o chão, almejado nos passos vindos.

terça-feira, 19 de maio de 2015

MEU INTERIOR





Na reflexão de um ser vivente,
faço hoje uma viagem diferente,
após um exame do ambiente,
decido seguir em frente.

Pensando nos meus pensamentos,
examino o conteúdo de minha mente,
e me deparo com alguns lamentos,
coisas que incomodam a gente.

Lembranças que ficam guardadas,
num espaço oculto e vulnerável,  
que se revelam conforme a estrada,
e se inflamam com a luta implacável.

Mas, vejo um antídoto bem acomodado,
pronto para neutralizar o negativismo,
que na vanguarda dos pensamentos,
busca acomodar o paroxismo.

A mente é um campo fértil,
onde muitas batalhas se travam,
entre o que produz ou o que é estéril,
reflexos das intenções que inflamam,
no fundo da alma onde um conflito se instala.

Confirmo, muitos planos em ação,
projetos em formação,  farta motivação,
o domínio tranquilo das melhores intenções, 
sufocando os pessimismos e as decepções
que desestabilizam a mente, no agir das emoções.

Nos recantos mais remotos do meu Ser
moram sentimentos de varias tonalidades
entre outros tantos, destaco o amor
que me segue desde a tenra idade,
e a esperança determinando o vigor
na manutenção da paz e da felicidade. 

Sentimentos novos ou antigos,
cravados por algum gesto de nobreza,
ou quem sabe, pelos erros cometidos,
marcam momentos alegres ou de incertezas
ou ainda a ausência de alguém querido,
que deixou muitas saudades e até tristezas.

Mas no recôndito do meu peito,
reside o Ser invisível e mais amado,
pois Ele é a fonte do amor perfeito,
controla todos os atos praticados,
distribui virtudes para todos os feitos,
consolida a fé e garante a vitória deste abençoado.

domingo, 17 de maio de 2015

A LOIRA








Um dia alguém me disse algo,
E eu, depressa, acreditei,
Confesso que até segui o impróprio riso,
Não devia, me arrependi, me enganei.

Essas coisas que se dizem por aí,
Se consolidam e ganham formas,
Caem na boca pequena, aqui e ali,
Mudam a opinião e criam normas.

A ausência de uma investigação,
Leva o incauto e obtuso navegante,
A cair na armadilha da contradição,
E na injustiça do destino errante.

Manchar a personalidade inocente,
Não resolve o tom da cor ambiente,
E nem mesmo o colorido dos cabelos,
Pode justificar a exibição dos dentes,
Na rudez de quem, com pouco desvelo,
Segue na onda, do que não é paciente.

À LOIRA, quero neste ato, homenagear,
De burra você não tem, nem pode ter nada,
E se um dia, com capricho, eu te encontrar,
Perto ou longe, aqui ou em qualquer lugar,
Vou, com respeito e com humildade, solicitar,

Que me dê a honra de, a meu livro, PREFACIAR.


sábado, 16 de maio de 2015

MENINA DA PRAIA











Uma linda figura,
Desperta as atenções,
Uma bela criatura,
Faz vibrar os corações.

Seu corpo quase desnudo,
Desfila na areia branca,
Exibe pra todo mundo,
Sua beleza franca.

Ela é bonita, ela é faceira,
A mulher que sempre encanta,
Ou a bela menina praieira,
Com classe, diz que não é santa,
Cativa a praia inteira.

Seu jeito todo misterioso,
Aguça a inútil curiosidade,
Deixa o galante furioso,
Engolindo a vaidade,
Que faz o veneno ficar venenoso.

Como o Condor altaneiro,
Nem de longe imagina a gaiola,
Voa alto e abraça o céu inteiro,
Contempla do alto o que lhe consola.

Ou como o simples que se deleita
Na sabedoria e seu apaixonante leito,
Se curva ao singelo som do violeiro,
Se rende a palavra mansa, que enfeita,
E se recolhe na reflexão do travesseiro.

Se ajeita no seu contorno,
Não negocia a liberdade,
O vento abraça seu corpo,
A brisa desliza em sua face,
A espuma branca se envaidece,
Quando seus pés, à água oferece.


A areia se agita toda,
Ao admirar a quase Sereia,
Que esnoba a realidade,
Num sério tom de brincadeira,
Distribui com simplicidade,
Encantos, que colam na minha beira.

O exagerado capricho de menina,
Lhe prende no silêncio que fascina,
Mas um curioso se assusta e se espanta,
Toma um voo rasante e aterrissa,
Se distancia das nuvens que encantam,
E abraça o chão que valoriza.

Naquelas ondas a "sereia" vira mulher,
Exibe a esbelta cintura fina,
Gosta de fazer o que quer,
Não deixa de ser MENINA,
Depressa se livra da blusa e da saia,

Quando se deleita na beira da PRAIA.

terça-feira, 12 de maio de 2015

NOITES DE LUAR




















Ai que saudade que me dá,
Dos meus dias antigos,
Das noites tão amigas,
Dos momentos mais queridos.

Das noites de Luar,
Ao ver a estrela passar,
Numa calda reluzente,
Me fazendo encantar.

Eu admirava o céu azul,
Esperando a noite chegar,
Só para ver o Cruzeiro do Sul,
Nas lindas noites de luar.

Me encantava com o brilho,
Que existia no teu olhar,
Como solitário andarilho,
Esperando te encontrar.

Mas você sumiu no tempo,
Me fazendo esquecer,
Pois, na vida tem momentos,
Que não se podem viver.

Daqueles dias antigos,
Não posso mais lembrar,
Que o peito fica contrito,
Quando garro a recordar.

Hoje nas noites claras,
Fico só a imaginar,
Que a doença não sara,
Que o jeito é administrar.

Cada dia um ensino tem,
O Sol brilha com toda euforia,
Mas a noite ensina também,
Sem a lua a vida não existiria.

Partículas do dia-a-dia,
Flutuam no meu caminho,
Trazendo ensinos de sabedoria,
E me tirando espinhos.

Momentos inesquecíveis,
Me indicam o rumo certo,
Me afastam os impossíveis,
Me fazem ver bem de perto.

Ai que saudade que me dá,
Da vida que vivi lá,
Do passado doce de se lembrar,

Das lindas noites de luar. 

sexta-feira, 8 de maio de 2015

MARCO FELICIANO: O QUE HÁ POR TRÁS DE TANTO BARULHO - 2

                       Em face da, entrevista do Pastor Marco Feliciano, veiculada através do SBT, no programa "Conexão Repórter" de 03.05.15, pareceu-me oportuno , reproduzir essa postagem, feita em 14.04.13.

                     Ao final, faço também a republicação do vídeo, constando a citada reportagem.




Amados irmãos,

Assisto aflito e angustiado ao massacre do qual tem sido vítima o Pr. Marco Feliciano, de quem apenas assisti algumas pregações, sem o conhecer pessoalmente.

Que as flechas venenosas, endereçadas ao Irmão, procedam dos adversários, que se multiplicam entre aqueles que veem no presidente da CDH um sério perigo às suas nocivas pretensões: isso conseguimos explicar e é o que quero fazer nessa postagem.

Duro é, no entanto, ver irmãos ou aqueles que se dizem irmãos nos levando a acreditar assim, fazendo coro com quem tem se declarado inimigo do Senhor, e dos princípios sagrados, buscando na conduta do homem de Deus, que seja um filete de razões, para justificar o embate, fornecendo munição aos adversários, em tempo de forte batalha.

Estamos, nesse caso, diante de lamentável ausência de entendimento, ou estamos cercados de impostores infiltrados em nosso meio, transfigurados em comportados cristãos, buscando na verdade, atender aos interesses do maligno, ainda que o façam de forma inconsciente.

Amados, é impossível admitir que, um servo de Deus, como é o Pr. MF, que certamente passa horas orando e estudando a Palavra do Senhor, NÃO SAIBA O QUE ESTÁ DIZENDO, quer seja em suas pregações ou em suas entrevistas de onde se tem garimpado com propósitos, os mais espúrios, razões para DESCONSTITUIR E DESCARACTERIZAR O HOMEM DE DEUS.  

Vejo pelo aspecto positivo, as afirmações de um SERVO DE DEUS, que se arma até aos “dentes” com a força da Palavra, para defender aos interesses do seu Senhor, e não transige em hipótese alguma com qualquer ameaça que venha a arranhar as estruturas da Santa Escritura, e não me atrevo a questionar qualquer declaração sua, mesmo aquelas que porventura, possam carregar a nossa sensibilidade, eivada, dos vícios inerentes à limitação humana.

Quem bem conhece a Palavra do Senhor sabe que: DEUS É AMOR, MAS É TAMBÉM JUSTIÇA E JUÍZO, e ai daquele que tentar manchar o santuário do Altíssimo, e não são poucos os exemplos bíblicos relatando a dura ação do Senhor contra aqueles que desrespeitaram princípios sagrados.

Poderia aqui citar vários exemplos desse tipo de ação divina, mas, me aterei a apenas um, porque encontra um similar ainda mais forte pela agravante do homossexualismo, no calor de todo esse barulho contra o Pr. MF.

Já é amplamente conhecida a atitude de duas mulheres se beijando durante um culto na cidade de Belém, numa clara afronta à Palavra do Senhor e retaliação as corretas posições do Pr. MF na CDH.

VEJAM O QUE ACONTECEU COM UM CASAL QUE RESOLVEU AFRONTAR A CONGREGAÇÃO DE ISRAEL ENQUANTO CHORAVAM PELAS CONSEQUÊNCIAS DOS GRAVES ERROS DE PROSTITUIÇÃO ENTRE O POVO DE DEUS E AS MOABITAS:

 Vendo isso Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, se levantou do meio da congregação, e tomou uma lança na sua mão;

E foi após o homem israelita até à tenda, e os atravessou a ambos, ao homem israelita e à mulher, pelo ventre; então a praga cessou de sobre os filhos de Israel.
 Números 25:7-8

VEJAM COMO DEUS APROVOU A ATITUDE DE FINÉIAS:

Finéias, filho de Eleazar, o filho de Arão, sacerdote, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois foi zeloso com o meu zelo no meio deles; de modo que, no meu zelo, não consumi os filhos de Israel.

Portanto dize: Eis que lhe dou a minha aliança de paz;

E ele, e a sua descendência depois dele, terá a aliança do sacerdócio perpétuo, porquanto teve zelo pelo seu Deus, e fez expiação pelos filhos de Israel.
 Números 25:11-13.

HOJE, COMO VIVEMOS NA GRAÇA, A AÇÃO DE FINÉIAS NÃO SE REPETE, PORÉM DEUS É O MESMO, E NÃO DEIXA IMPUNE TAL PROCEDIMENTO, OU QUALQUER TIPO DE AFRONTA e se alguém morreu assassinado, ou um avião caiu da forma mais estranha, é possível sim que esses fatos, encontrem explicação no JUÍZO DE DEUS.

Somos todos pacíficos, não admitimos nem adotamos a violência, mas o JUIZO DE DEUS VEM, das formas mais variadas, contra aqueles que se definem contrários e se levantam contra os santos propósitos.

Os métodos hoje são outros, porém deve estar presente no servo de Deus, a mesma natureza de intransigência com a defesa dos princípios sagrados, verificada na conduta de Finéias, e é isso que eu tenho visto na conduta do Pr. MF, especialmente, no trato com as pretensões dos ativistas do movimento homossexual.

Há que se notar, o avanço do movimento homossexual nos últimos anos, conquistando fortes aliados nos meios de comunicação de massa e em todas as esferas da sociedade.

Ora, sendo o homossexualismo uma forte agressão ao Escrito Sagrado, que inclusive já sofreu severa punição no passado, NÃO HÁ COMO, NÃO IDENTIFICAR AÍ UMA ASTUTA INVESTIDA DE SATANÁS, o que nos situa na esfera espiritual e como tal todo esse barulho precisa ser examinado.

Os defensores da Palavra vem enumerando insistentemente os prejuízos que virão com a legalização do relacionamento homoafetivo, para a família, para a sociedade como um todo, para a formação do caráter do ser humano, e ainda que tal união liquida com a perpetuação da espécie humana, já que dela não se pode esperar frutos.

Ora, com tantos prejuízos para a obra - Prima do Senhor, É ABSOLUTAMENTE COMPREENSÍVEL QUE O CRIADOR INTERFIRA DE ALGUMA FORMA VISANDO IMPEDIR O ÊXITO DO ADVERSÁRIO.

Daí o empenho dos homens de Deus como o Pr. Silas Malafaia que vem combatendo intensamente as ações desse movimento, e de outros tantos.

Na mesma linha de raciocínio, se explica o ingresso do Pr. MF. na política e sua ascensão à presidência da CDH , pois é lá , especialmente no PODER LEGISLATIVO, a sede perfeita para se impedir formalmente a evolução de dispositivos legais, que viabilizem as pretensões nocivas do ativismo gay, onde estão militando verdadeiros agentes de satanás.

Aí está, portanto a ação de Homens de Deus, a serviço do Senhor, visando preservar aos interesses do Altíssimo, em favor do bem estar de sua Criatura.

Agora, considerem comigo: como posso questionar a conduta de alguém que Deus elegeu para uma tão importante missão? SE É DEUS AGINDO E SELECIONANDO PESSOAS CAPACITADAS PARA O MISTER, quem sou eu para apontar falhas?...

Logo, não me parece oportunas, as criticas de qualquer natureza.

Cabe-nos, portanto, nesse momento de aflição orar e orar intensamente, em favor de nossos irmãos e que caiam por terra, as nocivas pretensões do inimigo de Deus.  

Deus abençoe a todos.

A SEGUIR

A REPORTAGEM COM O PASTOR MARCO FELICIANO FEITA EM 03.05.15















segunda-feira, 4 de maio de 2015

REFLEXOS DO VIVER









Num olhar tristonho e sombrio
um resto de vida, projeta no espaço vazio
indagações que o tempo não responde
segredos que sob as cãs se escondem,

As batidas no peito que outrora eram fortes
relutam ainda, apesar do limite norte
a respiração ofegante, indica a sorte
num fragmento de  vida que resiste a morte,

O sorriso abundante que enchia a face
deu lugar a um semblante sofrido e castigado
as marcas do tempo são duras e implacáveis
atingem violentamente quem já é quase passado,

As pernas não podem mais suportar o peso
uma cadeira de rodas é o recurso apropriado
alguém, conduz o pobre velho já indefeso
que aguarda o desfecho de seu inevitável estado,

As luzes vão se apagando
a chama fosca permanece acesa, mas a luz não tem
a vida aos poucos vai entregando
a frágil matéria, que não assegura eternidade pra ninguém,  

Eis o cenário que ocupou hoje a minha mente
quando caminhava pelas ruas do centro, contente
de repente meus olhos, fixaram naquele ponto escuro
a reflexão logo me veio, me dizendo o quanto é imaturo,

Levar a vida como se não existisse o duro amanhã
deixar a arrogância inconsequente dominar o peito 
passar os dias contando festas, sem ter a noção
do quanto é necessário praticar o bem e viver direito.

É preciso refletir no amanhã e pensar
buscar a presença de Deus no caminhar
amar ao semelhante, no agir e no falar

e amar a Deus, sempre, em primeiro lugar. 

domingo, 3 de maio de 2015

MÃE









Que ternura indizível!
Quanta renúncia impossível!
Que amor é esse?
Que sepulta o próprio interesse,

Que dedicação plena!
Onde as lágrimas roubam a cena,
E a alma jamais se apequena,
No sangue do teu sangue que sofre a pena.

Que amor infinito!
Que explode no peito aflito,
Que eclode num labirinto,
Que engole o próprio grito,

Como exprimir o sentimento?
Presente em todos os momentos,
Na vida que nem mesmo se vive,
Na única liberdade que lhe deixa livre,

No amor que pratica o verdadeiro "amar",
Sem esperar nada em troca de valor,
Que jamais encontrará um único similar,
A não ser no amor do próprio CRIADOR.


As palavras desaparecem,
Tal qual o Sol que no fim da tarde se põe,
Fogem da presença, que tanto enriquece,
Quando se quer definir a vida de uma MÃE.