quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O JARDIM DO ÉDEN É AQUI MESMO - FINAL

...CONTINUAÇÃO...



O JARDIM DO ÉDEN É AQUI  MESMO



PARTE  FINAL



DE VOLTA AOS NOSSOS MELHORES DIAS



Exatamente como aconteceu com Adão, todo ser humano sem exceção, passa um período de sua vida num lugar santo, puro, e sublime onde reina a paz, a alegria, a felicidade e a santidade de Deus. Esse lugar é o verdadeiro Jardim do Éden, esse lugar é o território onde opera a presença e a proteção do Todo Poderoso.
Esse período sublime na vida de todos nós compreende o dia da concepção, passando pelo nascimento e vai até o momento em que a criança deixa a fase da inocência e ingressa na fase da consciência.
Podemos afirmar com absoluta convicção que o final da primeira fase ou a fase da INOCÊNCIA, supera pelo menos a idade de 2 anos, embora não se possa determinar humanamente a idade limite.
Na segunda fase de sua existência  (CONSCIÊNCIA), o ser humano passa a compreender o que é certo e o que é errado e distinguir corretamente o bem e o mal, o que agrada a Deus e o que a alma do Senhor abomina.
Na primeira etapa da vida de cada criança, os anjos do Senhor a assistem 24 horas por dia como nos ensina a Palavra:

“Vede, não desprezeis a nenhum destes pequeninos; pois eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai, que está nos céus”. Mateus 18.10

Note-se que o texto sagrado revela uma proteção ininterrupta exercida sobre as crianças pelos anjos do Senhor. Esse cuidado especial permanecerá ate o dia em que o ser ainda infantil exercer o livre arbítrio inerente a todo ser humano e pecar.
De fato, esse é sem dúvidas o melhor período de nossas vidas.  Inúmeras vezes ouvimos as pessoas dizerem e exclamarem: “Como é bom ser criança! Se eu pudesse, voltaria a ser uma delas! Elas não têm problemas de qualquer natureza, também não guardam nenhuma maldade no coração, sempre são verdadeiras”!
O autor secular em meio a um paroxismo profundo exclamou em sua obra marcante: “Hoje, eu quero paz de criança dormindo”.  Quem ainda não percebeu, numa criancinha dormindo, um sorriso misterioso revelando uma situação de paz incompreensível, sorriso esse, que com certeza já esteve presente nos lábios de cada um de nós?
Toda criança, na fase da inocência, experimenta a paz, a alegria e a felicidade porque nessa etapa de sua vida, opera a presença do Criador, a proteção divina, o poder, a vontade e a santidade do Todo Poderoso.
Nessa fase, o espírito está protegido pelos anjos, não tem tribulações, problemas de qualquer natureza, não sofre a ação nociva da árvore da ciência do bem e do mal – satanás.

ASSIM É O JARDIM DO ÉDEN DE TODOS OS SERES HUMANOS NA FASE DA INOCÊNCIA. ASSIM FOI O JARDIM DO ÉDEN DE ADÃO E EVA ANTES DE PECAREM.
Nada obstante, num determinado dia de nossas vidas, quando entendemos o que é certo e o que é errado e praticamos o primeiro erro, nós nos perdemos ao pecar e fomos expulsos desse lugar sublime e tão desejado, exatamente como aconteceu com Adão e Eva.
Ao ingressar na fase da consciência, tão logo deixamos a etapa da inocência, passamos a exercer o livre arbítrio, um atributo que o Senhor concede a todo ser humano indistintamente. 

Uma vez nessa fase, (CONSCIÊNCIA) todos acabam pecando e sendo expulsos da presença de Deus.

Deus advertiu a Adão para que não comesse do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, ou seja, para que não se deixasse dominar por satanás e não pecasse. Nada obstante, essa mesma advertência foi feita a todo ser humano. Vejamos:

A Adão Deus disse:

“De toda a árvore que está no Jardim podeis comer livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comereis porque no dia em que dela comerdes certamente morrerás”.

Vejamos o Senhor repetindo a admoestação em outro texto sagrado, de outra forma:

“O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti, de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência”
 Deuteronômio 30.19

Qualquer criança sabe quando erra pela primeira vez, talvez não se lembre porque muitos erros se sucederam após o primeiro, contudo, se fosse possível monitorar os passos e a conduta de um ser humano nessa fase da vida, iríamos com certeza, confirmar essa realidade.
Vejamos agora, uma grande diferença entre Adão e cada ser humano que veio depois:

ADÃO – Recebeu corpo, alma e espírito, perfeitos diretamente do Criador, não sofrendo as influências negativas de outros seres humanos, pois, ainda não existiam, encontrou um mundo absolutamente puro e sem pecado.
Sendo o primeiro homem formado, tinha um contacto direto com Deus, mas foi a porta de entrada para o pecado no mundo, pois Satanás - o Pai do pecado – já estava presente no Jardim do Éden e no ambiente do primeiro homem criado.

OS DEMAIS SERES HUMANOS recebem no corpo o vírus do pecado procedente de Adão, mas recebem o espírito absolutamente puro, e santo  diretamente de Deus. Além de receberem uma carga genética contaminada por todos os vícios que se acumularam desde Adão, desde quando são concebidos e após algumas semanas de gestação, já começam a experimentar no subconsciente os reflexos nefastos do mundo exterior através das emoções negativas vividas no dia-a-dia das mães gestantes.
O novo ser criado começa desde a madre, a vivenciar e conviver com um ambiente corrompido sendo escolado pela natureza maligna que domina o nosso mundo. Assiste continuamente, no próprio lar, a divergências, brigas entre os pais, inimizades entre os irmãos, hábitos escusos entre todos os que o rodeiam.
Assim a criança chega à fase da consciência acumulando uma intensa quantidade de informações negativas, propiciadas pelos diversos fatores externos acima expostos e aí então é arrebatada pelo inimigo de nossas almas, que a engana e a leva a ingerir o fruto da árvore da ciência do bem e do mal, quando acaba pecando e então é expulsa do Jardim do Éden ou da presença de Deus.

Em que pese a existência dessa diferença tão marcante, por um determinado tempo todo ser humano (no que se refere ao espírito) está protegido das influências malignas que encontra no mundo onde vai viver.

Esse tempo é a fase da inocência, quando todos recebem proteção divina, vivendo inteiramente na presença de Deus, usufruindo todos os privilégios existentes no Jardim do Éden,

 Infelizmente, por conta do pecado de ADÃO E EVA, no que se refere a parte física, a carne, apenas, a proteção divina não pode mais ser absoluta. Isso explica, por exemplo, a morte ainda no ventre, o aparecimento de doenças ainda na fase da inocência, e as deficiências físicas de natureza genética.

Logo, a CARNE não pode receber proteção absoluta por conta do pecado de Adão e Eva, mas O ESPÍRITO RECEBE PROTEÇÃO ABSOLUTA, DURANTE A FASE DA INOCÊNCIA.
 
Como já dissemos, ao ingressar na fase da consciência, o homem acaba pecando e no momento em que peca, é imediatamente expulso do Jardim do Éden ou da presença de Deus exatamente como aconteceu com Adão e Eva.

NÃO É DEMAIS RELEMBRAR:

Fisicamente O Jardim do Éden é A TERRA;
Espiritualmente O Jardim do Éden é a PRESENÇA DE DEUS;

O Ser humano vive na terra a PLENITUDE DO JARDIN DO ÉDEN, QUANDO ESTÁ NA PRESENÇA DE DEUS.

Note-se que o homem não é expulso de um espaço físico, mas sim de um território espiritual.

Uma vez expulso da presença de Deus, o homem passa então a viver de forma errante e sem consciência de sua importância no Jardim do Éden, despreza os ensinamentos do Senhor e vira as costas para o Criador.
Vivendo dessa maneira, o ser humano fica absolutamente impedido de usufruir as delícias e todas as sólidas riquezas que estão no Jardim do Éden e emanam da presença do Todo Poderoso passará toda a sua vida buscando a felicidade e não a encontrará, desejará intensamente a paz duradoura, mas não poderá alcançá-la porque um dia se enveredou pelos caminhos de Satanás.

Podemos identificar aí mais uma revelação, a espada flamejante guardando o caminho da Árvore da vida citada em Gênesis 3.24 relaciona-se na verdade com a condição do pecador.

Sem arrependimento, o homem está proibido de transitar no Jardim do Éden. Vivendo uma vida de pecado, o ser humano não pode experimentar as riquezas indescritíveis que emanam da presença do Criador.
A ESPADA FLAMEJANTE, impede ao ser humano em pecado a visão das maravilhas existentes na PRESENÇA DE DEUS, e o seu ingresso nesse território maravilhoso.

Identificamos aí a única forma por meio da qual o ser humano pode retornar ao Jardim do Éden ou à presença de Deus: O ARREPENDIMENTO.

COMO RETORNAR AO JARDIM DO ÉDEN OU AOS NOSSOS DIAS DE CRIANÇA INOCENTE OU À PRESENÇA DE DEUS?

A obra redentora de Cristo em prol do ser humano já estava definida antes da fundação do mundo. Num dos seus belos momentos de oração, nosso Senhor Jesus nos revela claramente essa realidade. Vejamos:

“Agora, pois, glorifica-me Tu, ó Pai, junto de Ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse”. João 17.5

O texto sagrado nos mostra que Jesus começou a padecer pelo ser humano quando ainda o mundo não existia.
Certamente esse momento terrível na vida de nosso Senhor aconteceu quando o Pai estabeleceu o plano de salvar o pecador e constituir uma companhia de adoradores genuína, que prestassem a Deus a adoração perfeita, feita em espírito e em verdade, como nos orienta o texto de João 4.23-24.
Eis que, uma vez que o Senhor determinou por meio de sua palavra a criação do mundo, a preparação da terra, e formado o ser humano, veio a plenitude dos tempos.

Dos céus olhou o Senhor e viu que o homem era mau desde a sua meninice.

Observou o Criador que sua obra-prima não seguia as suas diretrizes, antes tão logo adquiria conhecimento, enveredava pelos caminhos do maligno, afeiçoando-se aos frutos da árvore da ciência do bem e do mal - satanás.
Concluiu então o Pai que não bastavam os ensinamentos passados de pai para filho desde a antiguidade, que também não resolvia o envio de profetas para ensinar o povo. A obra da criação de maior valor fazia sangrar o coração de Deus.
Eis que chegava o momento da decisão mais importante: o próprio Filho de Deus deveria ser encarnado e vir ao mundo para ensinar ao homem como andar, obedecer e fazer a vontade do Pai e por último ser crucificado como propiciação pelos pecados do ser humano. Vejamos o ensinamento:

“mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei,

 para resgatar os que estavam debaixo de lei, a fim de recebermos a adoção de filhos”. Gálatas 4.4-5

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3.16

“quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo”. I João 3 . 8

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. João 1.29

Aí está a única forma de se retornar à presença de Deus, de voltar ao Jardim do Éden e usufruir todas as riquezas sólidas, duradouras e eternas que emanam do santuário do Todo Poderoso.

Isso somente é possível através da aceitação do sacrifício do Filho de Deus na Cruz do Calvário, crendo em Jesus Cristo como único e suficiente salvador, passando a obedecer à Palavra de Deus e seguindo os sagrados ensinamentos do Pai. Vejamos a orientação bíblica:

“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Marcos 16.16

“Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus”.
 João 3.36

“mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna” João 4.14

Como já dissemos no início, todo ser humano, quando ainda criança, deixa a fase da inocência e ingressa na fase da consciência, acaba pecando e imediatamente é expulso da presença de Deus e do Jardim do Éden.
É preciso que o homem aceite o sacrifício de Jesus na Cruz do Calvário para que retorne ao Jardim do Éden ou a presença de Deus ou aos dias da inocente criança. Vejamos o ensinamento:

“e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”. Mateus 18.3

“Jesus, porém, disse: Deixai as crianças e não as impeçais de virem a mim, porque de tais é o reino dos céus”. Mateus 19.14

“Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como criança, de maneira nenhuma entrará nele”. Marcos 10.15

                VEJAM QUE CURIOSO: O SER HUMANO QUANDO A CEITA A CRISTO COMO SALVADOR, VOLTA A SER COMO UMA CRIANÇA INOCENTE.


Assim concluímos este capítulo enfatizando que todo ser humano ao aceitar a Jesus como único e suficiente Salvador, de fato passa a viver como criança, pois o Senhor nos capacita a amar o nosso próximo como a nós mesmos, a amar a Deus sobre todas as coisas, a lutar contra todo tipo de maldade que existe em nós, e a dependermos exclusivamente do Criador, vivendo de fato como pessoas inocentes.
Quando obedecemos aos mandamentos do Senhor e principalmente amamos ao nosso próximo como a nós mesmos, renunciamos à toda sorte de maldade que infestou o nosso ser desde que ingressamos na fase da consciência e deixamos os caminhos de Deus. Passamos a viver de fato como criança, e voltamos ao Jardim do Éden, ou aos melhores dias de nossas vidas.

Cabe aqui uma impressionante observação:

Quando aceitamos a Cristo como nosso único e suficiente Salvador, de fato retornamos ao Jardim do Éden e quando isso acontece passamos a experimentar privilégios maiores do que aqueles oferecidos a Adão (antes do Pecado) e  a  todo ser humano que ainda esteja vivendo a fase da inocência. Vejamos por que:

No Jardim do Éden de Adão antes do pecado e dos  seres humanos inocentes, Deus apenas os visitava na viração do dia, pois na verdade viviam ou vivem na presença de Deus.

Isso quer dizer que o primeiro homem, como toda criança inocente, morava/mora na presença de Deus, pois, ainda não havia cometido ou conhecido o pecado, e na viração do dia conversavam com o Criador.

Ao examinar o assunto, verificamos que Adão foi posto no Jardim, logo, ele não escolheu viver no Jardim, pois isso não seria possível, uma vez que ainda não tinha consciência para decidir, se queria ou não viver no maravilhoso lugar. Isso também acontece com toda criança inocente, que não pede para nascer. 
 Precisamos entender que Adão e Eva, foram expulsos do Jardim ou da Presença do Senhor, mas aceitaram o sacrifício de cordeiros simbolizando o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário. Naquele momento, retornaram ao Jardim do éden ou a presença de Deus.
No Jardim do Éden de todo redimido por Cristo (inclusive o próprio Adão e Eva), O Criador não o visita diariamente como acontecia no tempo de nossos primeiros Pais, ou quando a criança ainda está inocente, mas, O Senhor passa a morar na pessoa redimida juntamente com seu Filho Jesus Cristo, através de Seu Santo Espírito (Jo. 14.23), estando o tempo todo e para sempre em companhia do novo convertido, 

porque nesse caso a pessoa retornou ao Jardim ou a Presença de Deus por livre e espontânea vontade.

Houve aí uma iniciativa do homem, em aceitar um convite do Criador, decidindo se voltar para Deus, viver em santidade e submisso à vontade do Senhor, repelindo as concupiscências da carne, dos olhos, a soberba da vida e os caminhos do Satanás.

Ai está uma grande diferença:

Os seres humanos inocentes viviam na Presença de Deus.
O Pecador redimido, além de viver na presença de Deus, passa a ser morada do Todo Poderoso.

Adão e Eva não escolheram morar no Jardim do Éden, porque foi posto por Deus no referido lugar, como toda criança inocente que também não pediu para nascer.

Cabe aqui uma importante observação:

A companhia de adoradores, tão procurada por Deus conforme João 4.23-24, Jamais poderia ser encontrada entre as pessoas Inocentes (Adão e Eva antes de pecarem ou todas as crianças inocentes que nasceram depois de nossos primeiros pais), uma vez que elas ainda não tinham entendimento para prestar a Deus a perfeita adoração.

Essa companhia de adoradores, acima citada, somente poderia sair do pecador REDIMIDO, uma vez que esse, pode louvar e adorar a Deus de forma espontânea e absolutamente voluntária, e o faz com prazer e alegria, tratando-se de uma iniciativa própria de forma que enche o coração do Senhor. 

O Novo convertido(inclusive Adão e Eva) decide de forma absolutamente voluntária, retornar ao Jardim do Éden e por isso o seu privilégio é muito maior do que os privilégios conferidos ao primeiro homem da terra, ou as crianças inocentes.

Quando esse maravilhoso e maior de todos os milagres acontece na vida de alguém – A aceitação do sacrifício de Jesus Cristo ou o retorno ao Jardim do Éden - e esse alguém passa de fato a viver o evangelho, andar na presença do Senhor, buscar diariamente conhecer a Sua vontade e praticar os seus mandamentos, as promessas bíblicas começam a se cumprirem nos dias desse filho de Deus, que passa a experimentar as delicias do verdadeiro Jardim do Éden, tais como:

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, a sombra do onipotente descansará” veja com atenção todo salmo 91.
Deus é o nosso refugio e socorro bem presente na Angustia. Salmo 46.
O Senhor é o meu pastor e nada me faltará- Salmo 23
Quem crer em mim fará as mesmas obras que eu faço e as fará ainda maiores – Jo. 14.12.
Receberá as chaves dos reinos dos céus ( Mateus 16.19)
Etc,etc ....

E inúmeras outras promessas maravilhosas que somente podem existir para quem está vivendo de fato no Jardim do Éden ou na presença de Deus. 

 AFINAL O HOMEM REDIMIDO, ALÉM DE VIVER NA PRESENÇA DO SENHOR, PASSA A SER A MORADA DO TODO PODEROSO.



                                                  F  I  M.

5 comentários:

joceilma disse...

BOM DIA PASTOR E A PAZ DO SENHOR!
JÁ ESTOU NSEGUINDO O SR. OK!
DESDE JÁ AGRADEÇO PELA VISITA E POR NOS HONRAR DEIXANDO SUA MARCA REGISTRADA EM NOSSO BLOG.
PARABÉNS PELO BLOG! TÃO RECHEADO DE ESSÊNCIA BÍBLICA QUE NOS TRAZ CONHECIMENTO.

Joaquim José Tinoco de Oliveira disse...

Amadas irmãs, Hellen e Joceilma, Agradeço a visita, e o comentário. Fiquem com Deus. um forte abraço



Noemi disse...

Visitando su blog desde El Salvador Centroamerica, reciban un afectuoso saludo, desde mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
COMPARTO MI TESTIMONIO PARA LA GLORIA DE DIOS.
RECIBAN MUCHAS BENDICIONES.

António Jesus Batalha disse...

Amados, entrei no seu abençoado blog, e verifiquei que aqui há vida, e que o amor de Jesus impera.
Dou-lhe os parabéns por este belo blog, que é mais uma ferramenta para levar a Palavra de Deus.
Tenho um blog que fazia gosto se o conhece-se, O peregrino e servo.
Também ficaria honrado se fizesse parte dos meus amigos virtuais.
Decerto que irei retribuir.
Fique na paz de Jesus. Com votos de um Ano Novo cheio de vitórias em Cristo.
António Batalha.

Unknown disse...

Buscava um esclarecimento a respeito do que verdadeiramente significa o Jardim do Éden e aqui encontrei a melhor resposta com bases bíblicas consistentes, que se transformou em um estudo sobre o assunto. Obrigada e Parabéns pastor.