sábado, 17 de março de 2012

NINGUÉM NASCE PECADOR - FINAL

.......CONTINUAÇÃO......


7 - EQUIVOCADA INTERPRETAÇÃO:

Por oportuno, convém explicar alguns versículos que sempre foram mau interpretados, levando os orientadores a ministrar o ensinamento de que todos já nascemos pecadores. Vejamos:

“Eis que eu nasci em iniqüidade, e em pecado me concedeu minha mãe”. Salmo n.  51.5

Esse versículo se transformou num lema para os amados irmãos que, por não lhe destinarem uma adequada interpretação, entendem que todos nasceram pecadores, Vejamos a explicação:

“Eis que eu nasci em iniqüidade” :

O salmista está dizendo que nasceu no meio da Iniqüidade, que o seu espírito estava cercado de iniqüidades.
No corpo do homem, estão enraizadas todas as sementes malignas. O espírito do ser humano está dentro do seu corpo, portanto está no meio de iniqüidades.

Ele NÃO está dizendo que nasceu pecador ou iníquo.

“Em pecado me concebeu minha mãe:

Aqui o salmista esta Informando que quando foi concebido a sua mãe (não ele)  estava em pecado, o que é óbvio, pois todos nós estamos em pecado, após o ingresso na fase da consciência.

O Salmista não está dizendo que foi concebido pecador.

Vejamos agora esse outro Salmo:

“Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, proferindo mentiras.  Salmo n. 58.3

Verifique que aqui o mesmo salmista Davi explica o Salmo anterior (51.5) dizendo que o erro começa após o nascimento. Logo, o ser humano somente pode se tornar um pecador depois que nasce.

Cabe uma importante explicação sobre a primeira parte do mesmo salmo n. 58.3:

“ Alienam-se os ímpios desde a madre”

A palavra “alienar“, significa: Penhorar, hipotecar.  Quando compramos uma casa financiada, referido imóvel fica em nossa posse, dele podemos usufruir o tempo todo, contudo, o mesmo fica alienado a instituição financeira que o financiou.
Vale enfatizar, todavia, que o gravame recai tão somente sobre o imóvel, jamais sobre o morador do mesmo. Nada obstante, esse morador, figura no contrato de financiamento como responsável pelo débito e pela guarda da residência. Se o financiamento não for pago, a instituição financeira tomará a casa para resgate da dívida.
O mesmo acontece com o ser humano.  O homem é um espírito que mora num corpo. Logo, o nosso corpo é a casa de nosso espírito.
Satanás adquiriu direitos sobre essa casa -o nosso corpo- desde o pecado de Adão, ficando referida residência espiritual ALIENADA ao maligno ser.
Assim todo ser humano indistintamente tem seu corpo alienado a satanás desde a concepção, porque esse corpo já vem contaminado desde Adão.
Isso não acontece com o espírito, porque nós o recebemos novo, puro e santo desde o ato da concepção. (Zac. 12.1;  Heb. 12.9;  Is. 57.16 ;  Ecl. 12. 1 e 7 ;    34. 12-14;  Ez. 18.2-4 ). Veja no capitulo seguinte maiores explicações sobre essa questão.

Vemos ainda que existe uma fartura de informações dando conta de que cada um será responsabilizado pelo seu pecado.

De tais informações deriva a conclusão de que ninguém nasce pecador.

8 - AUSÊNCIA DE REFERENCIAIS:

A Palavra de Deus não traz qualquer referência sobre esse pecado de Adão, como sendo passado a todos os seres humanos, exceto equivocadas interpretações como essa registrada no item precedente.
Lembramos que o Salmista Davi pede perdão a Deus até pelos pecados ocultos, contudo jamais se dirigiu ao Senhor confessando o pecado de Adão. Não o fez, simplesmente por ser desnecessário.
Outro fato que chama a atenção é a ausência de um ato expiatório no velho testamento. O Livro de Levítico apresenta expiação por todos os pecados praticados pelo povo inclusive os ocultos, contudo nenhuma referência faz ao pecado de Adão. Não o faz, porque desse pecado Adão já prestou contas.
Toda orientação, sobre atos expiatórios foram passadas por Deus a Moisés.  Será que o Senhor se esqueceu de deixar uma orientação sobre como expiar o pecado de Adão? É claro que não.
O Senhor não deixou qualquer orientação sobre a expiação do pecado de Adão que supostamente teria passado a todos os homens simplesmente porque, as pessoas que vieram depois do primeiro homem não podem receber o pecado, embora recebam o vírus do pecado, mas isso não as tornam pecadoras.
Outro fato que muito chama a atenção é a própria instituição da Lei, dada por Deus a Moisés. Ora, se a pessoa já nasce pecadora, como então poderia ela cumprir a Lei, uma vez que as ordenanças sagradas já estariam sepultadas antes mesmo que alguém viesse a viver? Estaria o Senhor brincando com o ser humano, dando-lhe atribuições impossíveis de se cumprir? Qual seria então a utilidade da Lei?
Precisamos entender que tudo que Deus faz é perfeito, e é por isso mesmo que ninguém nasce pecador.   

9 - CONFLITO DE INFORMAÇÕES:

A propósito, é oportuno fazer um comentário sobre outro texto sagrado no qual os irmãos se apóiam para afirmar que todos já nascem pecadores.
“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. Romanos 3.23

O exame desse texto leva-me inevitavelmente a analisar outros ensinamentos igualmente importantes:

“No entanto a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão o qual é figura daquele que havia de vir.

Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, abundou para com muitos.

Porque, assim como pela desobediência de um só homem muitos foram constituídos pecadores, assim também pela obediência de um muitos serão constituídos justos”. Romanos 5.14,15,19

Observe que o Apóstolo Paulo diz claramente no primeiro versículo citado que todos pecaram, porém no segundo afirma que nem todos pecaram.
No terceiro, afirma que pela ofensa de um, muitos morreram, ou seja, não morreram todos, logo nem todos pecaram.
No quarto, o mesmo apóstolo, afirma que pela desobediência de um, muitos foram feitos pecadores, ou seja, mais uma vez o mesmo servo de Deus informa que nem todos pecaram.
Percebe-se, portanto, a existência de um conflito entre o primeiro versículo e os demais.
Ora, jamais poderemos afirmar que existe erro nos ensinamentos sagrados, muito menos que o grande servo de Deus se contradisse.
No presente conflito de informações, acredito que o bom senso deva nos orientar.
Ora, se em um versículo o Apóstolo faz um tipo de afirmação, mas em outros três versículos afirma exatamente o contrário, não pode ser coerente que observemos a orientação isolada, mas é sensato que respeitemos e sigamos os textos sagrados que guardem sintonia entre eles.
Além disso, a expressão: “Todos pecaram”, não indica a época em que ocorreu o pecado, afirma, todavia, que todos acabaram pecando mais cedo ou mais tarde.
Assim entendo que como o pecado é um ato absolutamente pessoal, o ensinamento do Apóstolo em Romanos 3: 23 deve ser compreendido da seguinte forma:

“Todos os que pecaram, destituídos estão da glória de Deus”.

Podemos então dizer com absoluta convicção que existe uma parte de seres humanos que não pecou.
Concluímos que essa parcela de pessoas santas, sem pecado é as crianças inocentes e aquelas pessoas que embora tenham se tornadas adultas, permaneceram com suas mentes infantis.

Dessa conclusão deriva a outra que tanto já temos demonstrado:

“Nenhum ser humano nasce pecador”

A propósito, alem dos esclarecimentos já prestados, cabe observar ainda que, a expressão “ Todos pecaram”,  encontrada em Romanos  3. 23,  revela com absoluta clareza uma ação de quem a pratica,  assim explicada: eu pequei, ele pecou, você pecou, nós pecamos, “todos pecaram”, logo, na frase em destaque, implícita está uma atitude, um gesto, uma ação, um procedimento absolutamente pessoal e intransferível, PROCEDIMENTO ESSE, QUE JAMAIS PODE SER ATRIBUIDO A UMA CRIANÇA, QUE NÃO PODE AGIR, POIS,  AINDA NÃO SABE AGIR, JÁ QUE , AINDA NÃO CONHECE,  O QUE É CERTO OU O QUE É EERRADO.

A citada expressão não autoriza, em nenhuma hipótese, a interpretação de que alguém seja responsabilizado por um erro cometido por outra pessoa.
 Assim o apóstolo está dizendo que cada ser humano deve pagar pelo seu próprio pecado, jamais poderemos ser responsabilizados pelo pecado de Adão.
Desse entendimento também deriva a conclusão de que:

“ninguém nasce pecador”.

Ao compreender essa grande verdade, uma imensa alegria invadiu meu coração. Afinal, eu não nasci um pecador como sempre aprendi.
E todos os seres humanos nascem puros e santos perante Deus, com as mesmas oportunidades. Deus não faz acepção de pessoas.
Desde criança carreguei esse peso absolutamente desnecessário, que me manteve cego por mais de 46 (quarenta e seis) anos e durante todo esse tempo queimava dentro de meu peito uma dúvida agonizante. Trago desde o meu nascimento uma mancha que Deus abomina. Como pode ser isso? Por que tenho de ser responsabilizado pelo erro de Adão?  Seria justo isso?
Felizmente, após esses estudos, veio-me o perfeito esclarecimento. Eu não nasci pecador, nenhum ser humano, nasce pecador. Deus é justo. Deus é maravilhoso.

Tais dúvidas não passam de estratégias de satanás para nos manter afastados do Altíssimo e não usufruirmos de todas as bênçãos que estão a nossa disposição.

Sustentar que o ser humano já nasce pecador é dar corda ao diabo, é satisfazer as pretensões do maligno, cujo objetivo é ofuscar o brilho do Todo Poderoso, tornando vulneráveis princípios intocáveis de nosso Deus como, por exemplo, o preceito de Justiça.
Uma criança ao ingressar na fase da consciência trazendo desde cedo na vida esse pesado jugo, já está sendo inconcientemente ensinada a se rebelar contra Deus, por mais que alguém queira lhe informar dizendo: o Senhor é justo!
Na verdade, está se formando um terrível conflito no íntimo do jovem ser humano que será perseguindo por uma dúvida cruel: Se Deus é justo, por que é que tenho de pagar por um erro que não pratiquei?
E assim, essa dúvida agonizante manterá o homem afastado do Criador, muitas vezes até criando um sentimento de revolta no ser humano contra o Todo Poderoso, exatamente como quer o inimigo.

Está na hora de desmascararmos essas estratégias do inimigo contra o nosso Deus.

Assim, para esclarecimento final, cada vez que nasce um ser humano, Deus cria um novo espírito a Sua imagem conforme a Sua semelhança, mostrando-lhe a vida e a morte, mas aconselhando-o no sentido de escolher a vida.
Infelizmente, todos, sem exceção, ingressam no pecado após a fase da inocência, por isso o Nosso Senhor teve de vir em nosso socorro.
Contudo, é um alívio maravilhoso saber que nascemos sem mancha ou pecado de qualquer natureza e que não temos de carregar esse peso insuportável que é o pecado de Adão.
Aliás, o sacrifício de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, alcançou, inclusive, as iniqüidades de nossos primeiros pais, quando Deus lhes providenciou o sacrifício de cordeiros para remissão de seus pecados.
 Logo, Adão e Eva também já tiveram seus pecados remidos por Cristo, que veio salvar o espírito e não a carne, porque essa simplesmente se desintegrará um dia e dela jamais haverá lembranças, pouco importa se ela está cheia de pecado ou não, se traz o veneno do diabo ou não.
 A carne não é objeto de salvação. A obra de nosso Senhor visa tão somente ao espírito do ser humano porque esse viverá eternamente.

LOGO, ASSIM CONCLUÍMOS ESSE ESTUDO DEMONSTRANDO QUE:

NINGUÉM NASCE PECADOR

4 comentários:

Anônimo disse...

Otima explicaçao e esclarecimento.
DEUS abençoe

silvia freitas disse...

Esse ultimo paragrafo para mim ñ ficou claro.
A carne pode ñ ser objeto de salvação,concordo. Mas ela está ligada ao espirito,e pecando o corpo peca espirito e vice versa.
Para ser mais exata,é a carne que consuma o pecado.Explique se puder.A paz!!

Joaquim José Tinoco de Oliveira disse...


Bem Silvia Freitas...

O propósito neste estudo é demonstrar que ninguém nasce pecador e sua dúvida nos leva para um tempo já distante da fase da inocência,fase em que o pecado não atua, mas nos coloca na fase da consciência quando todos indistintamente acabam pecando.

Observe que o pecado está ligado diretamente à fase da consciência.

Ex. uma criança que ainda viva a fase da inocência, pode cometer erros, como xingar a Mãe e o Pai ou bater numa outra criança injustamente.Veja que sua carne praticou o erro, mas nem por isso ela pecou, POIS, NÃO SABIA O QUE ESTAVA FAZENDO. NÃO TINHA CONSCIÊNCIA DO ERRO.NESSE CASO NEM A CARNE E NEM O ESPÍRITO PECARAM.

Ao atingir a fase da consciência, essa mesma criança vai entender que não se deve xingar sua Mãe e seu Pai e nem bater em outra criança. Se ela insistir e praticar tais atos, ela ingressará no caminho do mal, e se afastará de Deus.

A partir de então só existe uma forma de retornar a presença de Deus.ACEITANDO O SACRIFÍCIO DE CRISTO NA CRUZ DO CALVÁRIO.CONSIDERANDO ENTÃO DUAS HIPÓTESES:

1 - SE NÃO OCORRER ESSA DECISÃO DE ACEITAR A CRISTO COMO SALVADOR, ESSA PESSOA CRESCERÁ NO SEU MUNDO DE PECADO INDO DE MAL A PIOR, CORPO E ESPÍRITO PECANDO SEMPRE, SEM SALVAÇÃO, DESTINADOS AO FOGO ETERNO.


2 - CASO ACEITE A SUBSTITUIÇÃO FEITA NA CRUZ DO CALVÁRIO, UMA TREMENDA MUDANÇA VAI ACONTECER NA VIDA DESSA PESSOA. OCORRERÁ UM NOVO NASCIMENTO.

COM O NOVO NASCIMENTO, O ESPÍRITO SERÁ REGENERADO E DIUTURNAMENTE INSTRUÍDO PELO ESPÍRITO SANTO DE DEUS QUE PASSARÁ A HABITAR NESSA PESSOA.

TODAVIA, O MESMO NÃO ACONTECERÁ COM A CARNE. ESSA PARTE DO SER HUMANO TERÁ DE SER SUBMETIDA DIUTURNAMENTE A UMA INTENSA ESCRAVIDÃO, MAS ESSE JUGO, SOMENTE OCORRERÁ NO PENSAMENTO,UMA VEZ QUE, ELA, A CARNE, JAMAIS SE SUJEITARÁ A LEI DE DEUS. OU SEJA: SE NÃO HOUVER SOBRE ELA UMA VIGILÂNCIA CONSTANTE, ELA CONTINUARÁ A PECAR DIARIAMENTE.

RESPONDENDO ENTÃO SUA DÚVIDA:

PARA QUEM NÃO ACEITOU A CRISTO, AMBOS CARNE E ESPÍRITO SEGUIRÃO PARA O FOGO ETERNO;

PARA QUEM ACEITOU VERDADEIRAMENTE OCORRE O SEGUINTE:

1 - O ESPÍRITO ESTARÁ SALVO, PECANDO OU NÃO.

2 - A CARNE NÃO ESTÁ SUJEITA A SALVAÇÃO E CONTINUARÁ A PECAR CONSTANTEMENTE LEVANDO O HOMEM A PECAR.NESSE CASO, OS PECADOS SERÃO CLASSIFICADOS COMO VOLUNTÁRIOS OU INVOLUNTÁRIOS.

A) PECADOS VOLUNTÁRIOS: PODE ACARRETAR DANOS NA VIDA DA PESSOA, DANOS DE TODAS AS ESPÉCIES, INCLUSIVE A MORTE(I JOÃO 5.18); NÃO EXISTE PERDÃO PARA ESSES PECADOS. PAGAMOS DE ALGUMA FORMA, MAS, APENAS NO DECORRER DE NOSSA VIDA TERRENA. JAMAIS AFETA A NOSSA ETERNIDADE POIS, ESSA FOI GARANTIDA COM A DECISÃO DE ACEITAR O SACRIFÍCIO NA CRUZ DO CALVÁRIO.

B) PECADOS INVOLUNTÁRIOS: SÃO OS PECADOS OCULTOS, QUE PODEM ACONTECER ATÉ QUANDO DORMIMOS, OU AQUELES QUE PRATICAMOS DE FORMA INVOLUNTÁRIA. TAIS PECADOS SERÃO PERDOADOS, NA MEDIDA EM QUE SEJAM CONFESSADOS. LEMBRE QUE O SALMISTA OROU A DEUS PEDINDO PERDÃO ATÉ PELOS PECADOS OCULTOS. SE NÃO FOREM CONFESSADOS, TAMBÉM ACARRETARÃO ALGUM TIPO DE DANO EM NOSSA VIDA MATERIAL. APENAS MATERIAL.

ASSIM, CONCLUINDO, UMA VEZ QUE A PESSOA ACEITA O SACRIFÍCIO DE CRISTO, ELA PODE CONTINUAR PECANDO, MAS, SOFRERÁ DANOS DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO DO PECADO ACIMA CITADA.
PECANDO OU NÃO, NESSE CASO O ESPÍRITO SERÁ SALVO, MAS A CARNE JAMAIS, POIS, ELA TEM DE RETORNAR AO PÓ. GN 3.19, EC. 12.7




Joaquim José Tinoco de Oliveira disse...

em tempo,

Silvia Freitas:

no texto anterior onde eu citei I João 5.18 leia-se 5.16.

CONSIDERANDO AINDA:

é grande a complexidade desse tema, mas, ao aprofundarmos mais, baseado nos esclarecimentos acima, vamos concluir que após o NOVO NASCIMENTO, o espírito não PECA MAIS. vide I joão 3.9 e 5.18

A Concupiscência da carne e dos olhos e a soberba da vida, leva a carne a pecar e consequentemente essa situação, acarretará ações imediatas ou paulatinas que podem inclusive gerar a morte da pessoa envolvida.I João 5.16.

Assim o espírito permanece sem pecado, pois esse, o pecado, acontece contra na sua vontade. ver Rom. 7.18 a 23.

QUANDO O HOMEM É FRACO E SE DEIXA VENCER PELO PECADO, DERROTAS CONSTANTES LHE SOBREVIRÃO.

QUANDO ELE VENCE O MAL E ANIQUILA O PECADO COM MUITA VIGILÂNCIA, ELE SERÁ SEMPRE UM VENCEDOR E NESSE CASO SUA CARNE NÃO SERÁ ATINGIDA POR MAL ALGUM SL. 91.